Catamarca, sandboard e paisagens incríveis

sandboard catamarca

A viagem em Catamarca já estava sendo uma delícia, mas quando me contaram que eu também faria sandboard nas famosas Dunas de Saujil, o que já era bom ficou excelente!!

Ficar parado de pé na prancha de sanboard não é uma tarefa fácil e para garantir ainda mais emoção ao desafio, fiz uma aposta com meus companheiros de viagem que se eu conseguisse descer a duna de pé sem cair, ganharia uma cerveja!

Tivemos muita sorte porque esse dia amanheceu nublado, o que ajudou bastante a não morrer de suor nas belas dunas. A região de Fiambalá, ao norte da província argentina de Catamarca, é famosa pelas suas incríveis paisagens, entre elas as dunas de Saujil e Tatón.

Apenas a 12 km da cidade de Fiambalá, onde ficamos hospedados por 4 dias, está Saujil que é um povoado bem pequeno mas que guarda um tesouro de areias douradas. Foi incrível, estacionamos a caminhonete, andei menos de 2 minutos e dei de cara com esta paisagem. Eu parecia uma criança correndo pelo meio das dunas. Não sem razão esse lugar é conhecido como as dunas mágicas de Saujil.

sandboard catamarca

As minhas havaianas também adoraram as dunas

Aos poucos fomos subindo até o topo, são cerca de 70 metros de altura, e nos preparamos para fazer um pouco de sanboard. Adorei a dica da Noelia, a catamarquenha que nos acompanhou nesta viagem, de descer só de meia, sem tênis. E ela tinha toda razão, assim meu tênis não ficou cheio de areia e senti meu pé mais estável na prancha.

sandboard catamarca
Pronta para o desafio 🙂
sandboard catamarca
Sorte de principiante!!

Depois de tomar um pouco de coragem, decidi encarar a descida e lá fui!! Como vocês podem ver na foto, a minha decida não foi tão ruim e…. sim, ganhei a cerveja!!

A sensação de escorregar (sem cair) é incrível. Sentir que essa imensidão de areia fofa é um enorme tobogã e que, se você cair, quase certeza que não irá se machucar.

Já sabe que para descer todo santo ajuda, o problema foi ter que escalar a duna de novo pra voltar a escorregar!! Ficamos umas duas horas brincando e agradecendo pelo dia nublado que tivemos. Fazer sandboard foi uma das melhores partes desta viagem.

Além do sandboard, ficamos bastante tempo fazendo fotos engraçadas e brincando com a perspectiva que a areia permite. Qual é a sua favorita da série? 🙂

sandboard catamarca
Pequena ajuda
sandboard catamarca
Surf no tênis
sandboard catamarca
Eu te ajudo!
sandboard catamarca
Me segura!

Cara de índio
Depois disso foi hora de visitar outro lugar na região de Fiambalá, mas esse é bem pouco conhecido dos turistas. Fizemos uma incrível caminhada até chegar ao Lorohuasi (que significa casa de papagaio, na língua quéchua).

De Fiambalá são ao redor de 30 km, em direção à fronteira com o Chile. Ao descer do carro, tem mais 50 minutos de caminhada pelo Cañon del Indio, entre imensos paredões de formações rochosas vermelhas, que antigamente foi fundo de mar.

Cañon del Indio catamarca
Foto: Esteban Mazzoncini

Algumas pedras estão esculpidas de tal forma que é fácil encontrar figuras nelas: tigres, elefantes e várias formas. Mas a mais famosa são esses dois perfis de um casal indígena. É tão perfeito que fica fácil indentificar a mulher à esquerda e o índio à direita.

Cañon del Indio catamarca

Cañon del Indio catamarca
Não resisti

Só de pensar que isso foi esculpido pela erosão do vento durante milhares de anos, o meu encantamento foi ainda maior. É claro que não resisti e tirei uma foto dando um beijinho no índio. Algumas pessoas dizem que são dois indígenas apaixonados, enquanto outros acham que o índio está levando uma bronca da mulher. E você, o que acha?

Seja lá o que for, eu super recomendo o passeio até lá. Logo que cheguei achei que há uma grande semelhança com o Grand Canyon dos Estados Unidos.

É incrível como o ser humano não é nada quando nos comparamos com a grandiosidade da natureza. Olha só o tamanho das pessoas ao lado dessas rochas enormes.

O lugar inspirou tanto que o Esteban voltou a pedir a minha mão em casamento ali 😉

Cañon del Indio catamarca

Como esse lugar não está muito divulgado turísticamente, só é possível chegar ali com um guia porque não há nenhuma placa indicativa. Nós fomos com o guia local Tito, que pode ser contratado diretamente no escritório de turismo de Fiambalá.

Mais informações
Para quem quiser fazer sandboard nas Dunas de Saujil, a maneira mais barata de chegar, se não tiver condução própria, é ir de táxi (que custa cerca de 5 dólares de Fiambalá até Saujil) e alugar as pranchas ali mesmo nos fins de semana. Outra opção é contratar um tour para descer as dunas já com o equipamento e o transporte. O Hostel Seis Mil (de Fiambalá) faz esse passeio.

Como chegar
A capital de Catamarca é San Fernando del Valle de Catamarca, que fica a 310km de Fiambalá. Há voos diários de Buenos Aires até Catamarca (1h45 de voo).

Da capital de Catamarca é preciso pegar ônibus (cerca de 6h) ou contratar tours para percorrer a província. Nós fizemos base em Fiambalá e dali foi possível fazer a Rota dos vinhos, a Rota dos Seis Mil, visitar o famoso Campo de Piedra Pómez e as termas.

Eu fiz esta viagem para a província argentina da Catamarca, com o blogueiro Esteban, Un Viajero Curioso, e nós recebemos apoio da Secretaria de Turismo de Catamarca http://www.turismo.catamarca.gob.ar

Onde se hospedar
Fiambala é uma cidade bem pequena, mas tem várias pousadas desde as mais simples até algumas com um pouco mais de conforto. De qualquer maneira, não vá esperando um mega hotel por lá porque não tem.

Nós ficamos hospedados quatro dias na Hosteria Municipal e gostamos. O lugar é bem simples, a estrutura é um pouco antiga, mas os quartos estão bem equipados com ventilador e ar condicionado. Também tem um restaurante dentro da pousada que tem bons preços e a comida é gostosa.

Se quiser conferir outros alojamentos em Fiambala pelo Booking, veja aqui.

Eu fiz esta viagem para a província argentina da Catamarca, com o blogueiro Esteban, Un Viajero Curioso, e nós recebemos apoio da Secretaria de Turismo de Catamarca

Participe e deixe seu comentário.