Dicas valiosas sobre o Irã

irã-população

Se você está planejando uma viagem para o Irã, leia este post que tem dicas sobre visto, seguro médico, cartão de crédito, troca de moeda e aplicativos que são super úteis.

Antes de visitar o Irã pesquisei e li muito, principalmente em outros blogs. Como tive a sorte de encontrar bastante informação, embora não seja um destino super turístico ainda, também quero compartilhar com vocês algumas informações que são uma mão na roda e acho super importante saber antes de chegar lá.

Visto
Há duas maneiras de tirar o visto para o Irã: um é pela internet com antecedência e outro ¨on arrival¨ mesmo, na chegada ao aeroporto. Eu tentei tirar antes pela internet, mas não consegui.

Primeiro é preciso preencher um cadastro neste site https://evisa.mfa.ir/en/ e esperar uma autorização. Se esse cadastro for aprovado, você pode ir diretamente a embaixada do Irã no Brasil e tirar o seu visto. Essa opção é mais barata, mas é mais demorada.

Como essa não deu certo pra mim. Preenchi tudo certinho e depois de esperar quase 3 semanas, recebi um email (em farsi) dizendo que eu tinha que procurar uma agência de turismo para tirar o visto. Mas como eu já tinha lido em vários sites que também é possível tirar o visto diretamente no aeroporto de Teerã, escolhi essa opção mesmo.

Eu tenho passaporte italiano então entrei com esse no Irã. Ao chegar lá é preciso mostrar o seguro médico (vou falar mais sobre isso no próximo ponto), pagar 75 euros, responder algumas perguntas em uma entrevista, do tipo quanto dinheiro você está levando, onde vai ficar hospedado, qual é a sua profissão (eu não disse em momento algum que era jornalista para evitar qualquer problema mesmo), qual é o roteiro que pretende fazer lá e se conhece alguém no Irã.

A entrevista foi ok, o cara não era muito amigável, mas acho que essas perguntas são de prache mesmo. Me falaram que algumas vezes os agentes da imigração até ligam no alojamento onde a pessoa diz que vai ficar hospedada. No meu caso não ligaram, mas super recomendo fazer uma reserva verídica para os primeiros dias no Irã.

Depois de mostrar o seguro médico, de pagar e da entrevista, fiquei sentada uns 45 minutos na salinha e consegui meu visto por um mês que é eletrônico. Você não recebe nenhum carimbo no passaporte, nem um papel nada mesmo. Dizem que fazem isso para evitar problemas para os viajantes que depois queiram visitar outros países, como os Estados Unidos ou Israel.

Se você quiser ficar mais de um mês, depois pode renovar o visto por mais 30 dias dentro do Irã mesmo.

Idioma e números
Os iranianos não são árabes! Não confunda isso porque eles não gostam nadica de ser chamados de árabes. Os iranianos são persas e o idioma oficial no Irã é o persa ou o farsi, que é a mesma coisa. Os iranianos são descendentes diretos dos persas e antigamente o país se chamava Pérsia.

O alfabeto é o mesmo utilizado pelos árabes, mas o idioma não é igual. Pra entender melhor a diferença é só pensar no inglês e no português. Nós usamos o mesmo alfabeto, mas as nossas línguas são completamente diferentes, ok?

Sobre os números, estes também são diferentes dos nossos. Lá vai outra dica preciosa: super vale a pena decorar pelo menos os símbolos dos números para entender melhor os preços. Gaste um pouco de tempo fazendo isso e você vai ver como vale a pena quando você estiver lá.


Outra coisa que eu fazia quando não tinha jeito da gente se entender com os preços, eu mostrava a calculadora no meu celular e pedia para as pessoas digitarem os números. Funcionava quase sempre!!

Revolução Islâmica
Para ficar por dentro um pouquinho da história recente do Irã. Antes deste atual governo, os Pahlavi estiveram no poder desde 1941. O último Xá do Irã foi Mohamed Reza Pahlavi, que ficou 37 anos no poder e depois teve que se exilar primeiro nos Estados Unidos e depois no Egito.

Em 1979, o líder religioso aiatolá Khomeini liderou um golpe que depôs Reza Pahlavi e transformou o Irã em uma república islâmica, com leis conservadoras baseadas no islamismo.

mesquitas-irã
As imagens dos líderes religiosos estão em todos os lugares

Atualmente, o Irã vive sob o comando de Ali Khamenei, que é a maior autoridade do país, e a população continua vivendo baixo as leis islâmicas.

Seguro médico
O Irã é um dos poucos países que exige um seguro médico especial. Na verdade, não é que seja especial é que a grande maioria das seguradoras que são americanas não cobrem o território do Irã, por conta das sanções e problemas que há entre os dois países.

Por isso, pergunte muito bem antes de achar que o seguro do seu cartão de crédito cobre o Irã, quase certeza que não. Caso você consiga alguma empresa que cubra o Irã, leve o seguro impresso com esse detalhe bem especificado.

Mas não se preocupe que se não conseguir é bem tranquilo ter um. Eu comprei um seguro pela internet com a Saman Travel Insurance e o processo foi super fácil. O seguro custou 18 euros e me dava uma cobertura por 30 dias. Não posso dizer se é bom ou não porque não tive que usar (ainda bem)!! Mas esse seguro é certeza de que é aceito pelas autoridades no aeroporto porque eu não tive nenhum problema.

Caso você não tenha comprado um seguro com antecedência, também tem a opção de pagar por um ali mesmo no aeroporto. O valor do que é oferecido lá é de 18 euros por 30 dias. A vantagem de comprar o da Saman é que se você for ficar menos dias no Irã, paga menos. No aeroporto, só tem o seguro por um mês.

Cartão de crédito e troca de moeda
Um dos maiores desafios no Irã foi entender a moeda deles que tem muitos zeros!! Eu passei um mês lá e juro que nem assim consegui me achar. O problema é que como o Rial está muito desvalorizado, tem muitos zeros. Além disso, a moeda oficial é o Rial, mas as pessoas no dia a dia falam em Tomans (que é o Rial com um zero a menos).

Fazer compras não é tarefa fácil, se você não prestar bastante atenção

Vamos lá. Por exemplo, se alguém disser que um refrigerante custa 1 toman, na verdade são 10 rials, ok? Além disso, há um câmbio bem diferente entre os bancos (que pagam muito menos, não troque seu dinheiro lá) e o que você consegue na rua.

E como se tudo isso fosse pouco, cartões de crédito estrangeiros não são aceitos no Irã. Ohhh my God!! Mas não entra em desespero porque tem uma super solução, o bendito Mahcard!! Essa foi uma das coisas mais importantes e valiosas que me ajudou durante essa viagem e acho que é a melhor dica que tenho para compartilhar com vocês.

É um cartão de débito iraniano que você carrega quando chega e vai usando para tudo, tudo mesmo (restaurantes, compra de passagens, banquinhas, metrô, etc) e também pode tirar dinheiro de qualquer caixa eletrônico sem ter que pagar nada por isso.

Esse cartão foi a minha salvação nesta viagem

O MahCard funciona assim: você entra em contato com eles antes de começar a sua viagem, avisa o dia que vai chegar, onde vai ficar hospedado e eles imprimem um cartão com o seu nome. Em Teerã, eles vão até o teu hotel, você troca euros ou dólares com eles e na mesma hora esse valor é colocado no teu cartão de débito. Prontinho!!! Você economiza ter que ficar trocando dinheiro na rua, checando a cotação e perdendo tempo. O câmbio que eles fazem é o mesmo da rua, não o dos bancos que pagam menos.

O único custo são 19 euros que você paga uma única vez para ter o cartão e depois não paga mais nada. Eu tive um só pra mim porque fiz essa viagem sozinha, mas para casais ou amigos é possível só comprar um e usar em conjunto.

Atenção, leitores do blog tem um desconto de 40%! No momento de fazer a inscrição é só escrever VIAGEMCULT, na parte de promoção, e você vai pagar apenas 11 euros.

Sobre gastos, o Irã é um país bem barato (mas não sei até quando), porque a moeda deles está muuuuito desvalorizada. Para se ter uma ideia, eu pagava entre 2 e 3 dólares para jantar em lugares normais (não eram restaurantes simples e também não eram chiques), alojamento paguei no máximo 10 dólares por quartos individuais com café da manhã em ótimos hostels (em Teerã foi um pouco mais caro, cerca de 30 dólares por um quarto indivual).

Também aproveitei para usar muito Snapp (o Uber do Irã) porque era bem barato. Geralmente uma corrida nas cidades não custava mais do que 2 dólares.

Ah, e outra coisa super legal é que se sobrar dinheiro iraniano no cartão no final da tua viagem, eles devolvem sem problema em euros. Realmente eu posso dizer que essa foi uma das melhores soluções pra mim nessa viagem!!

Aplicativos mão na roda
Vai por mim, baixe estes aplicativos antes de chegar no Irã: Maps.me e FreeVpn.

Esse é o Maps.me
Esse aplicativo é super útil

O Maps.me é um aplicativo de mapa muito bom e que funciona offline, se você já tiver baixado antes no celular. Eu uso muuuuito e acho super útil porque posso me orientar super bem, marcar os lugares que quero visitar, vejo as distâncias entre um lugar e outro e até mesmo encontro hotéis e restaurantes próximos de onde estou.

O FreeVpn é um aplicativo que desbloqueia os sites que são proibidos no Irã. Não sei se você sabe mas a maioria dos sites de jornais estrangeiros, Facebook, Youtube, CouchSurfing, Booking e tantos outros não são acessíveis através da internet normal no país. Mas o povo sempre dá um jeitinho de driblar e fazem isso através de um VPN.

Tem muuuita oferta na internet, alguns são gratuitos e outros têm que pagar. Eu baixei no celular o FreeVpn e deu super certo (é de graça). A única coisa que não consegui foi baixar um gratuito no computador (tenho Mac), mas sei que existem algumas opções.

Esse foi o que eu usei

O outro aplicativo que você super hiper deveria ter é o Snapp (é o Uber iraniano)! Mas esse você só consegue baixar quando estiver lá porque precisa ter um número de celular do país. Eu comprei um chip logo que cheguei e o Mohamed do hostel onde fiquei hospedada fez o download e instalou pra mim.

Peça ajuda de algum iraniano para instalar o Snapp da primeira vez, você vai precisar por causa do idioma. Mas uma vez que já baixou e só passar para o inglês e fica bem fácil de usar.

Eu usei muito Snapp lá porque a moeda do Irã estava muito desvalorizada então era super barato pegar táxi. Eu preferi sempre usar o Snapp porque o valor da corrida aparece na tela antes de entrar no carro e por conta do idioma, bem pouca gente fala inglês no país, foi sempre mais fácil me locomover através desse aplicativo.

Uma coisa que aconteceu muito comigo é que antes do motorista chegar, quase todos me ligavam (não sei por que cargas d´água). Como eu não falo farsi e a maioria não fala inglês lá, sempre que podia passava o telefone para alguém na rua e fazia sinal de que eu estava ali e dizia: Snapp Snapp. Assim a pessoa falava com o motorista e explicava onde eu estava parada. Sempre deu certo. 🙂 Fica a dica!

Chip de celular
Você vai precisar comprar um chip com um número iraniano logo que chegar. Primeiro porque é barato, segundo que vai precisar se comunicar com os alojamentos ou verificar qualquer informação a qualquer hora e o mais importante, com um número iraniano, você pode usar o Snapp!!

Eu comprei um pacote de um mês com 10GB por cerca de 7 dólares da companhia IranCell e funcionava quase sempre em todo o país. Não cheguei nem a consumir todos os meus créditos nesse período e olha que usei bastante, principalmente o WhatsApp.

Uma dica, se puder compre no aeroporto porque ali eles falam um pouco mais de inglês e vão poder te explicar bem. Eu notei que poucas pessoas falam inglês no Irã e algumas vezes pedir uma informação básica era um pouco complicado.

Mais posts sobre o Irã:

Bom, essas são as minhas dicas do que acho super importante saber antes de desembarcar no Irã. Se você tiver mais alguma ou uma dúvida, vou adorar saber. É só deixar um comentário aí embaixo.

6 Comments

  • Oi, Jamila. Eu fiz essa viagem direto Istambul – Teerã e voei com a low cost turca que se chama Pegasus. O voo foi bem tranquilo e durou 3h (voo direto). Um abraço

  • Ola, adorei a postagem .Eu gostaria de saber com qual companhia aérea você viajou e se teria alguma pra indicar. Estou planejando minha viagem pra Teera. Obrigada .

  • Oi, Eduardo, eu não precisei de nenhuma autorização porque tirei o visto diretamente no aeroporto de Teerã (on arrival). Essa autorização que você menciona acho que é se você fizer o pedido de visto pela internet, antes de chegar ao Irã. Espero ter ajudado. Um abraço.

  • Lucila, obrigado pelas informações. Fiquei com uma dúvida. No visa on arrival, você sabe se preciso da tal autorização do MFA (ministério de relações exteriores) do Irâ? Ou a reserva em um hotel é suficiente? Encontrei as duas informações na internet… Pelo que entendi, essa autorização do MFA é necessária, mas notei que vc não menciona na sua postagem. Grato.

  • Hola Yvonne. Qué bueno que quieras conocer Irán, es fantástico. Sobre el clima, noviembre ya es un poco fresco (entre 8C y 14C más o menos). Las mujeres tienen que cubrirse la cabeza, los brazos y las piernas cuando están en cualquier lugar público, siempre. Los lugares que visité durante un mes fueron: Teheran, Kashan, Yazd, Shiraz, Isfahan, Kurdistán y Resht. El país es muy grande, así que tienes que ver cuántos días tienes y elegir lo quieres visitar. Yo hice todo el viaje en bus o con táxis locales (compartidos) y fue muy tranquilo. Los buses son buenos y todo es muy barato en Irán. Aún me falta escribir mucho sobre ese viaje para compartir en el blog, ojalá lo pueda hacer pronto. Espero haberte ayudado. Besos!

  • Qué consejos más fantásticos!!! EStoy entusiasmada.
    Quería saber si podías darme algún consejo más respecto a la ropa que llevar, quiero viajar fin noviembre, y si hay que llevar siempre la cabeza tapada.

    Además, respecto al transporte, ya comentas que metro y Snapp, pero para viajar por el país hay buena red de buses o similar?

    Qué recomiendas visitar en el país?

    Sabes que clima hace a finales de noviembre o si es ya muy frío?

    Mil gracias por la info.

Participe e deixe seu comentário.