O que é overtourism?

Londres é uma das cidades mais visitadas do planeta

Confira comigo o que é overtourism e como podemos praticar um turismo mais sustentável. Turistas são bem-vindos, mas não em excesso. Há vários anos algumas cidades estão sendo invadidas por milhares de viajantes o que acaba prejudicando a população local de várias maneiras.

Os moradores de destinos muito turísticos também merecem ter qualidade de vida. De quem e para quem são essas cidades, para os turistas ou para os locais?

Overtourism
Essa expressão em inglês significa, literalmente, turismo em excesso. O que você sente quando está tentando tirar uma foto nos canais de Veneza ou no centro de Londres e a única coisa que consegue enxergar são turistas e mais turistas?

LONDRES - OVERTOURISM
O centro de Londres está sempre lotado

Imagina você morar em uma cidade onde centenas de grupos de viajantes invadem Barcelona para fazer despedidas de solteiro, festas de ¨borrachera¨ (viagens onde o único objetivo é beber até cair) e algazarra pelo centro da cidade. O que é pior, esse tipo de viajante não se comporta assim quando está na sua própria cidade.

O overtourism é um assunto que vem preocupando locais e também governantes nos últimos anos e que precisa ser levado a sério.

Por que é ruim?
Se pensarmos que a maioria dos países europeus tem boa parte do seu PIB vindo do turismo, então por que os viajantes acabam prejudicando os locais?

Eu não tinha parado pra pensar nisso até que fui para Madri de novo há dois anos e notei uma mudança muito grande no centro da cidade. Eu morei na capital espanhola por quase 5 anos e na última viagem que fiz fiquei chocada com a quantidade de lojas de souvenir e de fast food que abriram ao redor da região de Sol.

Eu fiquei hospedada uma semana nessa área e sofri pra dormir de noite por conta da gritaria de jovens bêbados que caminhavam pelas ruas de madrugada. Imagina os moradores que ficam ali o ano todo como sofrem.

Sobre as lojas tradicionais que acabam fechando para dar lugar ao comércio para turistas (que não oferecem produtos locais e sim Made in China de qualidade duvidosa), isso acaba criando uma descaracterização do lugar e quando você percebe todos os centros de cidades europeias são mais ou menos parecidos e vendem as mesmas bugigangas em cada esquina.

Outro grande problema do overtourism é o aumento nos preços dos aluguéis. Barcelona, Madri e Dubrovnik são bons exemplos onde os moradores locais tiveram que se mudar para regiões mais afastadas porque já não conseguem pagar um aluguel razoável.

Por conta de modelos de negócio como AirBnb, por exemplo, os donos de apartamentos preferem alugar seus imóveis só para turistas e ganhar mais em poucos dias do que alugar para locais.

parqueguell-barcelona

O estrago da saturação de turistas vai ainda mais longe. Pensa num local que mora perto de um cartão postal em Barcelona, o Parque Guel, e precisa pegar ônibus. Quase todos os dias essa senhora tem que esperar vários ônibus passarem até encontrar um que não esteja muito lotado para que ela possa subir.

Com todo esse impacto negativo do turismo de massa, existe uma onda crescente na Europa de turismofobia. Os moradores de Veneza estão, literalmente, de saco cheio do turismo por lá. Imagina que há 30 anos, a população de Veneza era de 120 mil. Hoje em dia esse número se reduziu para 55 mil.

A cada ano Veneza perde mais moradores

Os locais sofrem as consequências do turismo de massa (barulho, preços altos, excesso de gente, etc) e por isso acabam se mudando para outros lugares.

Cruzeiros
Eu já fiz dois cruzeiros, mas não tinha parado pra pensar realmente a fundo que esse tipo de viagem também pode afetar negativamente os lugares onde os barcos atracam.

Imagina que um cruzeiro pode transportar em média 3 mil turistas. Geralmente, quem faz um cruzeiro desce em um porto e passa poucas horas em um destino. A pessoa compra poucas coisas, alguma bebida, lota as principais atrações turísticas e não contribui para o alojamento local porque volta para dormir no barco.

cruzeiro
Os cruzeiros são como hotéis gigantes flutuantes

Um bom exemplo no quesito cruzeiros é Dubrovnik. A cidade croata ficou ainda mais famosa depois que a série Game of Thrones foi filmada ali. Com o sucesso da série, milhares de turistas começaram a ir pra lá o que acabou gerando um desgaste da cidade amuralhada.

dubrovnik - overtourism
A bela cidade amuralhada é invadida por milhares de turistas

Companhias aéreas low cost
Eu morei 9 anos na Europa e vi como vários destinos começaram a ficar massificados cada vez que novas rotas eram abertas pelas low cost. Com preços baixos e muito marketing, cada vez mais turistas viajam e acabam, algumas vezes sem querer, estragando um lugar.

Eu costumo dizer que um destino onde uma empresa como a Ryanair começa a voar, o lugar fica ¨cagado¨ em pouco tempo. Principalmente durante o verão europeu onde muuuuita gente viaja ao mesmo tempo.

Mas e daí, o que nós podemos fazer? Não viajar com low cost? Sim, eu também viajo com essas companhias, mas hoje em dia percebo coisas que antes nem passavam pela minha cabeça.

Exemplos positivos
Ainda bem que alguns governantes se dão conta do perigo do overtourism e tomam decisões onde priorizam ganhar menos dinheiro e preferem preservar suas riquezas naturais por mais tempo. Muito melhor do que ¨queimar¨ um destino em pouco tempo, você não acha? 

Os governantes de Dubrovnik, por exemplo, limitaram a 4 mil o número de visitantes diários na parte amuralhada, proibiram a abertura de novos restaurantes nessa região e também fecharam várias lojas de souvenir.

No Machu Picchu fizeram algo parecido. Vendo que uma das sete maravilhas do mundo estava se deteriorando pela grande quantidade de turistas, o governo peruano começou a restringir o número de visitantes e a quantidade de horas que o viajante pode ficar no santuário, entre outras regras.

machu picchu - overtourism
Tive o privilégio de conhecer este santuário

Leia aqui quais são as regras para visitar o Machu Picchu.

Um bom exemplo no Brasil é Fernando de Noronha que cobra uma taxa  diária dos visitantes, regula o número de pessoas que podem entrar diariamente, não permitem que turistas nadem com botos e mantém um rigoroso controle já que o arquipélago foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco e é um paraíso brasileiro!

Mais exemplos que deveriam ser seguidos, depois que o Leonardo di Caprio filmou ¨A praia¨ na famosa praia Maya Bay, o governo tailandês decidiu fechar (ainda bem) esse lugar incrível por vários anos por conta do desgaste que o ecossistema e os corais sofreram com a quantidade de visitantes que estava recebendo. 

Turismo sustentável
Então, gente? Sim, tudo isso me preocupa, mas como nós podemos colaborar com um modelo de turismo mais sustentável quando viajamos?

Turismo não é sinônimo do mal, mas deve ser bem planejado, principalmente pelos governos locais para evitar todos esses pontos negativos que detalhei aqui. Não tem jeito, quando saímos de casa já estamos causando um impacto no mundo, deixando um rastro.

atenas-acropole
A Acrópole é um dos lugares mais visitados da Grécia

Agora que você já sabe o que é overtourism e seus pontos negativos, como você acha que podemos ser turistas mais responsáveis? Pensando nisso, escrevi este outro post com 7 dicas para não contribuir com o overtourism.

A Luisa, do blog Janelas Abertas, tem posts ótimos sobre este assunto. Para quem quiser se aprofundar ainda mais, recomendo este sobre turismo responsável.

Participe e deixe seu comentário