Catamarca, montanhas, vulcões e belas paisagens

catamarca argentina

Para quem quiser conhecer um pouco mais da Argentina e ir além das cidades mais conhecidas, como Buenos Aires, Mendoza ou Bariloche e deseja incluir aventura ao roteiro, super recomendo visitar a província argentina de Catamarca.

Montanhistas do mundo todo adoram essa região porque é a segunda maior cadeia montanhosa do mundo, depois do Himalaia. Essa é a famosa Ruta de los Seis Miles, uma cadeia de 14 montanhas e vulcões. Pertinho da Cordilheira dos Andes e da fronteira com o Chile (Paso de San Francisco), vários picos ultrapassam os seis mil metros de altura.

Parte do famoso Seis Miles

Nós fizemos uma excursão para chegar próximo ao Vulcão Pissis (6.882 metros), o vulcão mais alto do mundo, e Ojos del Salado (6.893 metros), que são os mais escalados da região. Para se ter uma ideia dessa altura, o Aconcágua, que é a montanha mais alta da América Latina, tem 6.962 metros.

Para chegar até lá passamos por um caminho semi desértico que foi mudando de cor a cada quilômetro e o meu encantamento também ia aumentando. Por isso foi impossível cochilar, até lhamas encontramos pelo caminho.

catamarca argentina
Foto: Esteban Mazzoncini
catamarca argentina
Foto: Esteban Mazzoncini

Saímos da pequena cidade de Fiambalá e percorremos 50 quilômetros de asfalto pela Ruta 60, até chegar na parte de cascalho e pedra. Na estrada encontramos um pequeno altar em homenagem ao Gauchito San Gil, o santo mais popular do país.

Dali para frente só carro com tração 4×4. Essa é uma região super inóspita e não tem sinal de celular. Por isso, os guias só recomendam entrar com caminhonetes 4×4. Imagina que durante todo o trajeto que fizemos, que durou mais de 6 horas, a gente não cruzou com nenhum outro carro.

Digo isso porque se alguém quiser arriscar e o carro quebrar ou coisa que o valha, vai ser muito difícil alguém passar para dar uma mão. Além disso, a temperatura de noite por lá costuma cair muito.

catamarca argentina
Foto: Esteban Mazzoncini

catamarca argentina

Depois de quase duas horas dentro da caminhonete e de se esbaldar com lindas vistas, o melhor ainda estava por chegar. O guia pediu pra gente fechar os olhos e só abrir quando ele dissesse. Estacionou o carro e olha só o que vimos!!

Uma lagoa azul incrível que ia mudando de cor cada vez que o sol se escondia atrás de alguma nuvem. Essa é a famosa Laguna Azul e ao fundo está o Balcón del Pissis.


catamarca argentina

Altitude
Fizemos várias paradas pelo caminho e a altitude foi aumentando cada vez mais, até chegar a 4.700 metros de altura. Segui à risca as instruções do guia; caminhar devagar, beber água, mascar folha de coca e não comer muito porque a digestão costuma ficar mais lenta. Por sorte eu não senti nada, não tive nenhum sintoma de ¨apunamiento¨, como dizem em espanhol. Não masquei a folha de coca porque detesto o cheiro, mas tem gente que curte.

Essa excursão durou quase o dia todo. Saímos às 8h30 de Fiambalá e retornamos por volta das 17h30. Voltei cansada mas muito feliz por ter visto paisagens tão diferentes e por ter conhecido um lugar tão remoto e lindo!!

catamarca argentina

Nós fizemos a excursão com o César, da Agência Travesía 4×4 , ele e a esposa são proprietários do Hostel Los Seismiles que fica bem pertinho da praça principal. Essa excursão custa cerca de 55 dólares por pessoa. A travesia foi ótima, o Cesar dirige muito bem e é um ótimo guia.

Balcón del Pissis
O incrível Balcón del Pissis. Foto: Esteban Mazzoncini

Quando ir
Essa região só pode ser visitada entre outubro e maio por conta do clima e as visitas só deveriam ser feitas com agências recomendadas pela Secretaria de Turismo de Catamarca.

Não deixe de levar

– óculos de sol, boné, chapéu e muito protetor solar

– calçado confortável

– água e um lanche (como a região tem muita altitude, prefira uma alimentação leve)

Como chegar
A capital de Catamarca é San Fernando del Valle de Catamarca, que fica a 310km de Fiambalá. Há voos diários de Buenos Aires até Catamarca (1h45 de voo).

Da capital de Catamarca é preciso pegar ônibus (cerca de 6h) ou contratar tours para percorrer a província. Nós fizemos base em Fiambalá e dali foi possível fazer a Rota dos vinhos, a Rota dos Seis Mil, visitar o famoso Campo de Piedra Pómez e as termas.

Onde se hospedar
Fiambala é uma cidade bem pequena, mas tem várias pousadas desde as mais simples até algumas com um pouco mais de conforto. De qualquer maneira, não vá esperando um mega hotel por lá porque não tem.

Nós ficamos hospedados quatro dias na Hosteria Municipal e gostamos. O lugar é bem simples, a estrutura é um pouco antiga, mas os quartos estão bem equipados com ventilador e ar condicionado. Também tem um restaurante dentro da pousada que tem bons preços e a comida é gostosa.

Se quiser conferir outros alojamentos em Fiambala pelo Booking, veja aqui.

Eu fiz esta viagem para a província argentina da Catamarca, com o blogueiro Esteban, Un Viajero Curioso, e nós recebemos apoio da Secretaria de Turismo de Catamarca

Participe e deixe seu comentário.